AMLINORTE
 
 
 
 
 
 
 
 
Leda Saraiva Soares
Natural de Osório. Residiu em Tramandaí desde a mais tenra idade. Professora, escritora, pesquisadora, historiadora da região Litoral Norte. Licenciada em Língua Portuguesa e Literaturas pela PUCRS. Membro da Academia de Escritores do Litoral Norte/RS. Membro correspondente do Instituto Histórico e Geográfico de Santo Antônio da Patrulha; Patrona da Biblioteca da Escola Estadual de Ensino Médio 9 de Maio - de Imbé.

Comend...Vizualizar perfil completo
Perfil completo
Links
AELN - Ass. Escritores do Litoral Norte
Meu blog
29/12/2011 Missa de sétimo dia Gilberto do Amaral Saraiva
08/12/2011 Feira do Livro em Caspernoste.
24/11/2011 Aos Ventos do Mar e da Lagoa
23/11/2011 Escritores participantes da Antologia III - AELN -Gaúcho
23/11/2011 Lançamento da Antologia III - AELN Gaúcho
14/11/2011 AELN - Lança Antologia III na Feira do Livro em Porto Alegre
06/11/2011 AELN - Lança Antologia III na Feira do Livro em Porto Alegre
02/10/2011 SURU BICO, BICO, BICO
19/06/2011 Programação cultural na Festa Nacional do Peixe de Tramandaí
19/06/2011 13ª FESTA DE SÃO PEDRO
 
+ Arquivos
Blogs
27ª Moenda da Canção
Aidyl Peruchi
Ana Claudia Gonçalves
Andrea Hilgert
Bola - Wind Fly
Cassia Message
+ Blogs
 
  Leda Saraiva Soares
 
02/10/2011
SURU BICO, BICO, BICO

Suru bico, bico, bico
Quem te deu tamanho bico?
Foi a velha sucareira que andou pela ribeira
Atrás de ovos de Perdiz para filho de juiz.
Canivetinho pintadinho cai na barra 25
Mingorra, mingorra, esta mão está forra.

Brincadeira que nossos pais e avós faziam com as crianças.
Na década de 40, eu brinquei muito de suru bico, bico, bico.

As crianças rodeavam o avô, a avó, ou qualquer adulto sentado e que se dispusesse a brincar com elas. Colocavam as duas mãos sobre as pernas deste, ou sobre a mesa. Aquele que liderava a brincadeira ia dizendo as palavras compassadamente, obedecendo a um ritmo, de forma que a palavra recaísse sobre o dorso de cada mão. No momento que a mão era tocada, recebia uma beliscada leve, delicada. A mão sobre a qual recaia a palavra "forra", caía fora. A brincadeira prosseguia, repetindo-se até que restasse apenas uma. Quem liderava a brincadeira, pegava a mão que sobrou, fazendo-a de vassoura. Enquanto fazia de conta que varria dizia:

Varre, varre vassourinha
A titica da galinha.
E ameaçava as crianças participantes, com a mão supostamente suja de titica de galinha. Era uma gritaria... porque ninguém queria se sujar.

Comentário:

Quando brincávamos, não sabíamos o significado daquelas palavras desconhecidas de nosso vocabulário. O que nos encantava era o ritmo e abrincadeira em si.
Por exemplo: a palavra suru bico - Hoje sei que “suru” significa curto.Galinha sura é Galinha sem rabo. “Vestido surico”= vestido curto. “Calça surica” = calça curta, ou seja, que encurtou ou deixou de servir.
Então, suru bico = bico curto. Tanto é, que na brincadeira há a pergunta: “quem te deu tamanho bico?” refere-se ao bico curto.

Não descobri , ainda, a palavra “sucareira” – procurando o significado no Dicionário Lello Universal –Dicionário Enciclopédico Luso-Brasileiro, encontrei a palavra “chocalheira” cujo significado é : mulher Indiscreta, faladora, linguareira.

Penso eu: Talvez, mulher que metia medo. Com o tempo a palavra foi se alterando, conforme era ouvida.

Na internet, encontrei: chucareira= bruxa ou padre.

Surpreendeu-me o significado da palavra “mingorra” - no Dicionário Enciclopédico Luso-Brasileiro este verbete mingorra- s.f. prov. alent. = Membro viril da criança. No Dicionário Aurélio, não encontrei este verbete.

Forra. Nós, crianças, não entendíamos e perguntava-nos: por que forra e não fora? Pois a mão saia fora da brincadeira. Hoje sei que forra é livre. Liberto , alforriado. Daí a expressão: Negro forro. Negro livre. Alforria,= liberdade. Libertação de qualquer jugo ( Dicionário Aurélio).A mão forra= mão livre.Porque a última mão é a que vai "pagare mico"

Se alguém puder me ajudar...
Quando crianças eram essas as palavras que usávamos nesta brindeira.

Legado português?Açoriano?
       
 
 Post Anterior
19/06/2011
Programação cultural na Festa Nacional do Peixe de Tramandaí
  Próximo Post
06/11/2011
AELN - Lança Antologia III na Feira do Livro em Porto Alegre
Deixe aqui seu Comentario
Severina Ramos Eduardo da Silva - São Paulo - SP - Brasil
Conheço essa brincadeira, mas um pouco diferente. O meu pai sempre brincava comigo e meus irmãos quando éramos crianças: Ele mandava a gente colocar as mãos abertas com o dorso para cima, ele também participava e fazia gesto como se estivesse varrendo e falava: Varre, varre essa casinha que está cheia de cocô de galinha. Depois ele mandava a gente segurar nas orelhas do vizinho e Cantava: Ele cantava Gata pintada, quem te pintou ? Foi a velha cachimbeira que por aqui passou. Tempo de frio fazia poeira Puxa lagarta por essa orelha!!!! Ele ia beliscando todas as mãos e quando a música terminasse, a última mão que beliscasse sairia da brincadeira. E assim ia até a última mão ser beliscada e era a vencedora.
ivo ladislau - Capão da Canoa - RS - Brasil
Sempre iluminada... isso é valorizar e não deixar morrer "nosso" passado litoraneo ...moldado tb na afro-açorianidade....luzzzzzzzzzzzzz sempre!!
Artur Pereira dos Santos - P. Alegre - RS - Brasil
Amiga Leda, sendo o nono de uma família de onze irmãos, de raízes açorianas, muito brinquei com irmãos, primos e vizinhos de suru bico, com uma diferença, no final dizíamos: "Recolhe esta mãozinha, que é conchinha desta aqui".Abçs.
Ver todos os comentários
 
Blogs
Marina Raymundo da Silva
Escritora professora Branca Diva Pereira de Souza-2ª parte
Marina Raymundo da Silva
Escritora professora Branca Diva Pereira de Souza-1ª parte
Marina Raymundo da Silva
Imagem centenária de Santa Catarina de Palmares do Sul
Marina Raymundo da Silva
Medalha Dante de Laytano
Marina Raymundo da Silva
Lançamento de livro A Coberta dalma no L.N. do Rio Grande do Sul
Marina Raymundo da Silva
Lançamento de livro Navegação Lacustre Osório-Torres- 3ª edição
+ posts
Cadastre seu flyer + eventos
 
    Parceiros
 
Todo conteúdo, imagem ou opiniões publicadas aqui neste espaço é de responsabilidade civil e penal exclusiva do blogueiro.
 
 

www.rotaacoriana.com.br